David Bowie: 1947 – 2016

David Bowie

E na noite de ontem o mundo recebeu com espanto o comunicado oficial sobre o falecimento de David Bowie, vítima de um câncer no fígado contra o qual o artista lutava em segredo já havia 18 meses.

Bowie havia completado 69 anos dois dias antes e aproveitou a data para lançar o sombrio Blackstar, seu 25º álbum. Pelo curto espaço de tempo em que gravou o material, fica claro que seu ultimo trabalho foi uma espécie de presente de despedida para seus fãs, informação confirmada pelo produtor e amigo Toni Visconti.

Sem rodeios, afirmar que David Robert Jones foi um dos maiores artistas do século 20 é simplesmente chover no molhado. Bowie não só inventou as regras do jogo quando o assunto envolve grandes ídolos pop, como também fez questão de as subverter toda vez que se sentiu entediado.

Muitos artistas podem ter mudado de estilo durante sua carreira, mas David Bowie foi o primeiro músico a criar diferentes personas para si mesmo, enquanto mantinha a notável proeza de construir uma obra coerente enquanto passeava por diferentes estilos musicais.

Os feitos musicais do Camaleão são incontáveis. Precursor do glam rock e de todos os seus excessos, primeiro artista popular a abraçar os experimentos eletrônicos do krautrock alemão, influência confessa do punk, do pós-punk, do new romantic e de toda a sonoridade da década de 80. Isso sem contar seus flertes com o folk, o jazz, o soul, o industrial e a dance music.

Mas a carreira de David Bowie foi muito além da música. Poesia, teatro, moda, artes plásticas, cinema, fotografia. Através de seus olhos diferentes e únicos, o artista parecia enxergar um cenário onde não existiam fronteiras entre diferentes estilos e diferentes braços da produção artística.

O que nos leva a sua essencial contribuição na discussão de questões ligadas a sexualidade e gênero. Mesmo sem necessariamente levantar nenhuma bandeira a respeito desses temas, a arte de Bowie foi mais poderosa para dar visibilidade a essas questões do que muitos ativistas nos dias de hoje.

Até mesmo em suas jogadas comerciais, o Camaleão parecia estar a frente de todos. David Bowie foi um dos primeiros artistas a lançar um site na internet e ao prever ainda nos anos 90 que a questão dos direitos autorais seria um assunto cada vez mais complicado para os músicos, criou os Bowie Bonds, um fundo de ações baseado nas suas músicas que rendeu ao artista cerca de 55 milhões de dólares.

Bowie foi o homem que caiu na Terra e vendeu o mundo. O alienígena rockstar. O Rei dos Duendes. Um vampiro gótico. O poeta sensível que se perguntava se poderia existir uma vida melhor em Marte.

David Bowie foi acima de tudo, um artista que nunca teve medo de encarar o novo e se reinventar, mesmo que ele afirmasse que na verdade estava sempre batendo no mesmo carro. E foi o sujeito que disse que todos nós podemos ser heróis.

Ao menos por um dia.

Compartilhe!

Author: André Morelli

Vida louca e próspera. morelli@popground.com.br

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>