Resenha: The Maze Runner – Correr ou Morrer

The Maze Runner

Estreou ontem os cinemas brasileiros The Maze Runner – Correr ou Morrer (EUA, 2014). Baseado no primeiro livro da trilogia de mesmo nome escrita por James Daschner, o cenário da história segue a mesma tendência de outras trilogias infanto-juvenis que vem sendo adaptadas para o cinema, como Jogos Vorazes, Divergente, etc.

Mundo Pós Apocalíptico? Check! Adolescentes e crianças? Check! Quem poderá nos defender? Check! The chosen one? Check!

The Maze Runner começa com o protagonista Thomas (Dylan O’Brian, da série Teen Wolf) chegando, dentro de uma caixa, a uma clareira cercada por um enorme labirinto (Maze é labirinto em inglês). Sem lembrar-se de nada, nem mesmo do próprio nome, ele é recebido por outros garotos que chegaram ali da mesma maneira que ele, um de cada vez, um por mês, e nos três anos em que estão na clareira, formaram uma sociedade onde cada um tem o seu papel, desde os agricultores até os maze runners, responsáveis por explorar o labirinto durante o dia e procurar uma saída.

Com a chegada de Thomas tudo começa a mudar, talvez por ele ser o the chosen one (verdade seja dita, eles não chegam a dizer que ele é o escolhido, só que ele é diferente). Entre uma das mudanças, está a chegada de Teresa (Kaya Scodelario, de Skins), a primeira garota a ser enviada para o labirinto.

Thomas é o único do grupo que tem alguma lembrança do mundo exterior, mais exatamente, flashes com a Dra. Ava Paige (Patricia Clarkson, de Ilha do Medo), indicando que o labirinto tem algo relacionado a um experimento científico.

The Maze Runner é uma boa história, intrigante. Confesso que fiquei com medo de acabar o filme sem nenhuma resolução, deixando apenas para a continuação, mas não, ele fecha o arco, deixando apenas uma pontinha para o próximo.

Dirigido por Wes Ball (do delicioso Toda Forma de Amor), o filme vale a conferida. Apesar de se aproveitar da atual onda das trilogias infanto-juvenis e no início deixar um pouco daquela sensação de ser mais um, a produção diverte e tem seus méritos.

Compartilhe!
Ana Cláudia Praconi

Author: Ana Cláudia Praconi

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>